Newsletter simples no WordPress10 min leitura

Muitos já devem ter ouvido falar da importância de criar uma newsletter, eu mesmo já falei isso várias vezes em consultorias e cursos de WordPress. Eu achava que o principal desafio era manter uma regularidade no envio, mas percebi que muitas pessoas travavam muito antes disso, a ideia já morria ao enfrentar a dificuldade de configurar um sistema para fazer isso. Eu mesmo passei bastante tempo tentando achar um sistema mais simples para criar o PainelWP, uma newsletter sobre WordPress, que quase desisti de criá-la.

Na minha cabeça, minhas exigências não eram muito altas: queria um sistema para envio de e-mail praticamente só em formato texto, com algumas formatações como títulos, trechos em negrito e links. Não queria estruturas visuais complicadas com várias colunas, imagens e botões. Também não queria gastar muitos cliques para poder enviar uma newsletter neste formato mais minimalista. Parti então em uma jornada para encontrar o sistema perfeito de newsletter simples para as minhas necessidades.

Como seria um sistema de newsletter simples?

Sei que o conceito de simples é bem relativo, pois nem sempre o que parece ser simples é fácil de ser implementado. Então para ajudar na procura, montei uma lista de requisitos que este sistema de newsletter simples deveria ter:

  1. Todo o conteúdo das páginas e mensagens transacionais (exemplo: e-mail de confirmação, página de cadastro, …) deveriam estar em português, mesmo que eu fizesse esta tradução manualmente;
  2. Ter uma interface que fosse rápida para criar e enviar e-mails, pois não queria perder muito tempo com tarefas não relacionadas à criação do conteúdo da newsletter;
  3. Possuir estatísticas de abertura de e-mails e cliques nos links, para poder saber se a newsletter está sendo utilizada e quais os links estão fazendo mais sucesso;
  4. Envio ser feito por um servidor especializado em newsletter, para evitar que os e-mails caíssem na caixa de SPAM;
  5. Possibilidade para agendar e-mails, assim não precisava ficar “preso” ao computador no horário de envio da newsletter;
  6. Ter um plano gratuito, para poder fazer um teste e ver se realmente gosto do serviço;
  7. Poder adicionar um formulário de cadastro dentro do WordPress, poderia ser por HTML mesmo.

Pode parecer que alguns itens acima sejam óbvios de um sistema ter, mas descobri que nem todas as soluções possuem funcionalidades como agendamento e formulário de cadastro para adicionar em um site.

Opções de envio de newsletters

Fui atrás de todos os sistemas de newsletters que eu lembrava, ou encontrava no Google, e comparava as funcionalidades com a lista de requisitos que montei. Vamos analisar um por um!

O Mailchimp é uma das plataforma mais conhecidas, mas para mim o grande problema é que por ela ter muitas opções, o esforço para criar e enviar uma newsletter do zero é muito grande. É preciso navegar em muitas telas e só para criar um formulário de inscrição com mensagens em português é preciso de um tutorial, pois é uma opção “escondida” dentro do sistema. Sem falar no editor de criação de e-mails que sofre do mesmo problema de ter opções demais e acaba ficando confuso. Se o Mailchimp tivesse um passo a passo guiado no início (também chamado de onboarding), como o assistente de configuração do YOAST SEO que foi criado para resolver um problema similar, seria outra história. Por conta dessas dificuldades (requisito 2), este serviço foi descartado desde o começo.

Tela de criação de e-mail no MailChimp
No MailChimp do lado esquerdo fica uma pré-visualização e o editor do lado direito

Descobri também o Tinyletter, que é um braço do Mailchimp para newsletter mais simples e rapidamente se tornou um forte candidato. Ele é totalmente gratuito até 5.000 assinantes (único plano existente) e eu gostei bastante da interface minimalista deles. Só que algumas restrições o tornaram inviáveis para o que eu queria fazer: não é possível traduzir todas as mensagens (requisito 1) e não há como fazer o agendamento de e-mails (requisito 5).

Pesquisando mais um pouco encontrei o Buttondown e o SubStack também pareceram muito interessantes, mas foram descartados pois também não era possível traduzir as mensagens (requisito 1). O primeiro possui um editor Markdown para a criação de e-mails junto com um validador de links, que achei bem interessante, e possui um custo menor que o do MailChimp. O segundo é mais focado para quem quer criar newsletter pagas, que na verdade não era meu caso, mas estava mais interessado nas funcionalidades.

Quando estava quase desistindo, lembrei de uma opção dentro do próprio ecossistema do WordPress, o plugin MailPoet. Ele atendeu a todos as minha necessidades e o gerenciamento e criação de e-mails é feito totalmente dentro da própria interface de administração do WordPress. Abaixo vou detalhar como o plugin atendeu a cada um dos sete requisitos.

MailPoet para envio de newsletters

Como a tradução do plugin é feito pela comunidade, logo após a instalação o MailPoet já identificou o idioma do meu WordPress e todas as mensagens já estavam traduzidas (requisito 1). Além disso, ele me deixava personalizá-las totalmente, funcionalidade que eu nem estava esperando pois a maioria dos serviços que testei possuía alguma limitação sobre o que eu poderia editar.

O editor de criação de e-mail é bem minimalista e eu consegui rapidamente criar uma newsletter simples com parágrafos, títulos e divisores (requisito 2). O mais legal é que se eu quiser copiar e colar o conteúdo que escrevi para o editor de blocos do WordPress, não preciso fazer nenhuma adaptação especial. Faço isso pois quero ter um arquivo público dos e-mails enviados no site, mas com algumas alterações para adaptar algumas coisas que não fazem muito sentindo na leitura dentro de um post.

Tela de criação de e-mail no MailPoet
No MailPoet do lado esquerdo fica o conteúdo com edição e do direito os tipos de conteúdo disponíveis

Uma das funcionalidades que adorei, é a facilidade de utilizar o último e-mail enviado como base para o novo e-mail, assim a cada envio faço uma pequena melhoria no visual ou estrutura e ela é repassada progressivamente para os próximos e-mails.

Conforme utilizava esse editor, fiquei pensando o quão maravilhoso seria se ele utilizasse o editor de blocos do WordPress (também conhecido como Gutenberg), com as devidas limitações de blocos por conta do suporte limitado que o e-mail possui. Achei um post de janeiro de 2019 que o Kim Gjerstad, um dos funcionários da MailPoet, comenta sobre a possibilidade dessa migração, que deverá acontecer só depois que a fase dois do Gutenberg estiver pronta.

A interface do plugin segue bastante o padrão visual do WordPress, como já estou acostumado a ela, a utilização dela foi bem fácil para mim.

Tela dos e-mails enviados pelo plugin MailChimp para WordPress
Lista de todos os e-mails enviados pelo MailPoet

Como uma parte importante depois do envio das newsletter é entender como os usuários estão interagindo com os e-mails, o MailPoet possui estatísticas individuais por e-mails, mostrando quais links foram clicados e quem clicou em qual link (requisito 3).

Tela das estatísticas de um e-mail enviado pelo plugin MailChimp para WordPress
Estatísticas de um dos e-mails enviados pelo MailPoet

Para o envio de e-mails, há duas possibilidades: enviá-los utilizando o próprio servidor de hospedagem ou utilizar o serviço de envio da MailPoet para isso (requisito 4). Como eu me preocupo que todos os e-mails sejam recebidos e não classificados como SPAM, o envio por um serviço especializado em newsletter é essencial. Pensar em “economizar” utilizando o próprio servidor de hospedagem é um tipo de economia burra, que só vai prejudicar o seu negócio, pois é muito fácil o seu domínio entrar em listas negras de SPAM (veja algumas ferramentas para verificação da sua reputação), entre outros problemas.

Para o agendamento de e-mails (requisito 5), há três opções:

  1. Visitantes do seu site (padrão) – utiliza o cron do WordPress que é executado quando alguém visita o site. Este é o método mais simples, só que se você não receber visitas por volta do horário de envio da newsletter, o e-mail não vai ser enviado;
  2. Scripts próprios do MailPoet – garante que os e-mails são enviados no horário agendado, mas não suporta todos os servidores de hospedagem;
  3. Cron no servidor (Linux cron) – você tem controle total do intervalo de quando a verificação de agendamentos ocorre, mas exige um pouco mais de trabalho para configurar.

Na página do MailPoet tem uma explicação mais detalhada sobre os métodos de agendamendo. Para facilitar eu escolhi a primeira opção, mas como o site ainda tem poucas visitas, eu abro ele manualmente logo depois do horário agendado para garantir que o e-mail será enviado.

Para poder testar o serviço de envio da MailPoet, ele possui uma conta gratuita para até 1.000 inscritos (requisito 6) e o preço dos planos pagos é praticamente igual ao praticado pelo MailChimp. Faz alguns anos o limite era de dois mil inscritos, mas devido ao uso de má fé por algumas pessoas, no começo de 2019 o plano gratuito foi cancelado temporariamente e voltou alguns meses depois.

Infelizmente o plugin ainda não possui suporte para o editor de blocos do WordPress, então tive que adicionar o formulário de inscrição (requisito 7) adicionando um shortcode manualmente. Pelo menos é mais prático do que adicionar o código HTML, onde a cada alteração no formulário precisaria atualizá-lo em todos os lugares que o adicionei.

Lembrei que já havia pensado em utilizar o MailPoet antes, mas ele não funcionou de primeira no meu servidor pois precisava fazer algumas configurações e fiquei com preguiça, então parti para outras soluções. No final acabei percebendo que o trabalho de fazer essas configurações acabou sendo menor do que as dores de cabeça que eu iria ter com outros serviços. Esses foram os itens que precisei fazer:

  • Como a minha hospedagem não atendia todos os requisitos, foi necessário instalar o pacote php-xml. Que descobri também ser um requisito do Jetpack. Na maioria das vezes criar um chamado para o suporte do seu servidor é o suficiente para resolver esse problema;
  • Como uso GSuite tive que adicionar manualmente um registro de SPF do MailPoet no DNS. Para testar se tudo deu certo usei o MXToolbox;
  • A ativação do plano gratuito exige uma verificação manual por parte da equipe do MailPoet, que consiste em responder um e-mail com algumas perguntas. Esse processo foi bem rápido e demorou menos de um dia.

Também haviam todas as configurações que uma newsletter exige, mas achei elas bem tranquilas de fazer na interface do MailPoet:

  • Criação da lista de e-mail;
  • Criação do formulário com os campos nome e e-mail;
  • Criação do e-mail personalizado de boas vindas;
  • Criação de página personalizada para confirmação de assinatura, pois na tradução estava “Você vai ouvir de nós em breve.” e eu queria colocar uma mensagem mais legal.

Pronto! Agora estou com um sistema de newsletter totalmente configurado e pronto para enviar e-mails! Lembrando que o melhor jeito de construir uma audiência é criando uma lista zerada e deixando ela crescer organicamente. Se você tiver interesse em aprender mais sobre o MailPoet ou newsletters, me avise nos comentários.

Conclusão

Sei que este texto aborda de maneira bem específica as minhas necessidades para a criação de uma newsletter, mas acredito que o aprendizado que eu tive poderia servir (mesmo que parcialmente) para outras pessoas. Se você conhece algum outro sistema que se encaixe nos requisitos que listei, ou chegue bem próximo disso, deixe um comentário abaixo comentando mais sobre esta solução!

4 thoughts on “Newsletter simples no WordPress10 min leitura

  1. Cara tive que voltar aqui para agradecer a dica.

    O Plugin MailPoet caiu como uma luva para um projeto. O cliente precisava gerenciar envios de Ebooks gratuitos e captar emails para uma estratégia de marketing.

    Com o MailPoet eu automatizei o envio do e-mail com o link do Ebook e ao mesmo tempo criar listas de emails separadas para cada estratégia que podem ser enviadas facilmente utilizando o plano grátis de 1000 emails.

    Super ajudou, e na hora certa! Obrigado!

  2. Isso mesmo! E esse cliente já usava o tema DIVI que tem template de formulário compatível com o MailPoet. Funcionou bem!

Você tem algo construtivo sobre este texto para dizer? Então comente abaixo

Faça parte do Kosmos!

Se inscreva na minha newsletter intergalática e receba conteúdo exclusivo!