Duas semanas de intervalo renderam muitas faíscas para compartilhar!

  1. As vezes os planetas se alinham perfeitamente, e foi isso que aconteceu comigo na semana passada quando o Brian Hogg contou em sua newsletter a dificuldade que estava tendo em colocar em prática uma ideia de curso em vídeo (spoiler de um novo projeto meu) e como escutar o Overwhelmed: How to be More Productive & Less Stressed ajudou ele nesse processo. Já escutei duas vezes e não paro de pensar em como o Sean D’Souza organiza o tempo dele e fico repetindo todos os dias: avance um pouco, nem que seja meia hora, em um projeto que é importante para mim. São tantas dicas que eu quero fazer um post separado só sobre elas. (este item foi escrito em intervalos durante o almoço);
  2. Pela segunda vez seguida compartilhei conhecimento no WordCamp São Paulo e foi um dia inteiro repleto de faíscas mentais, parecia o céu explodindo de luzes no ano novo! Conversei sobre os assuntos mais variados com pessoas muito diferentes. Recomendo o evento para todos, mesmo que não conheça muito sobre WordPress (que foi o meu caso no primeiro WordCamp de Curitiba em 2010);
  3. Antes de ir para o evento, encontrei por acaso o The Art of Speaking at a WordCamp, do Josh Pollock, que me fez repensar algumas dinâmicas minhas de apresentação de palestras. Recomendo a todos que querem melhorar
  4. Como a tecnologia está mudando a maneira como nos relacionamos sexualmente? É em torno dessa pergunta que gira o documentário Hot Girls Wanted: Turned On , dividido em 6 episódios, disponível na Netflix. Cada episódio é muito bem feito e lembra um pouco a dinâmica do Black Mirror. Sim, é pesado e vai fazer você repensar várias coisas.
  5. Um dia estava passeando pela livraria e um livro de capa preta me chamou atenção, comecei a folhear e adorei as ilustrações com traços minimalistas, mas carregados emocionalmente. Recentemente ele acabou parando nas minhas mãos e o título se fixou: Outros Jeitos de Usar a Boca, da Rupi Kaur. Li em menos de dois dias e foi uma imersão completa nas delícias, amarguras e curas do amor próprio e em relação ao outro. O que me leva a mergulhar ou apenas molhar os pés na poesia da minha vida?
  6. O catálogo Whole Earth Catalog, lançado entre 1968 e 1972, influenciou a vida de muitas pessoas, incluindo Steve Jobs que tirou dele a sua famosa frase "Stay hungry. Stay foolish.". Tim Ferris conversou com Stewart Brand, editor deste catálogo e de mais muitas outras coisas, por quase três horas (!!!) e é uma experiência transcendente. Steward talvez seja o mais próximo que temos de um Forrest Gump da vida real, que participou e influenciou muito eventos importantes, e ainda o faz aos 78 anos. Um verdadeiro polímata que é uma prova viva de que não precisamos "parar no tempo" conforme envelhecemos.
  7. Como um apaixonado por listas, foi difícil não ficar em êxtase enquanto lia 52 things I learned in 2017 do Tom Whitwell. Um dos itens que me chamou atenção foi que quem assiste TV somente por serviços de streaming (como a Netflix), economiza em média 160 horas de comerciais por isso, que é equivalente a um mês de trabalho de 8 horas por dia.

Não fale a menos que possa melhorar o silêncio.

Jorge Luis Borges

Publicado por Daniel Kossmann Ferraz

Sou (de)formado em Ciência (?) da Computação e (in)formado em Cinema, Literatura, Tradução, Arte, Quadrinhos e Alquimia pela Universidade Pirata, obtendo com louvor o título de Kosmonauta. Nas horas vagas, gosto de desenhar mãos e viajar em universos paralelos. Se você gostou dos meus textos, me ajude a escrever mais.

Deixe um comentário

Você tem algo construtivo sobre este texto para dizer? Então comente abaixo