Faísca Mental #4

Depois de uma semana de hiato por motivos de evento/retiro, a lista de se7e partículas quentes volta a erupção.

  1. O Spotify lançou faz algumas semanas a playlist Sua Máquina do Tempo com uma seleção das 30 músicas mais nostálgicas da sua adolescência e do início dos seus 20 anos. Ele monta essa lista com base no que você escuta atualmente e foi surpreendente o quanto ele acertou. Ando pensando: de que outras formas podemos utilizar os “rastros” que deixamos na internet em conjunto com a inteligência artificial para melhorar o dia a dia, sem comprometer a nossa privacidade?;
  2. Qual é a referência do meu estilo de escrita ou se descobri ele sozinho?“. É com essa pergunta que Nathan Kontny começa o artigo Writing style e a resposta acaba sendo as duas coisas. Além de dar várias dicas do que torna uma história interessante, no final ele recomenda fazermos coisas (ler, assistir ou ir para eventos/lugares) de assuntos que temos zero interesse, para assim descobrir coisas novas e talvez ter faíscas mentais. Já descobri muita coisa legal lendo artigos ou vendo documentários sobre assuntos totalmente aleatórios para mim, mas ainda não cheguei ao ponto de ir a um evento com a mesma intenção. Aceito companhia para a Expoagro Afubra;
  3. Pesquisando para resolver um problema em um projeto da Spirallab, encontrei um blog que recomendava outros sites e um deles foi o do empreendedor Syed Balki, que além de ter um conteúdo muito legal, tem uma página especial com uma singela lista de empresas que ele toca. Fiquei aqui pensando com meus botões, será que um dia vou ter algo parecido? Acredito que este ano iniciei minha jornada para tornar isso uma realidade;
  4. Fiquei bastante impressionado com os projetos pessoais que o Stephen Duneier apresentou em How to Achieve Your Most Ambitious Goals no TEDxTucson. O mais interessante no discurso dele é sua afirmação de que ele não é diferente de nenhum de nós, não tem inteligência acima da média e ainda possui muita dificuldade para focar em algo por mais de 5 minutos. O segredo está em começar com algo bem pequeno (1%), que o resto continua no fluxo;
  5. O Spotify tem uma playlist bem legal para ajudar a manter o foco no trabalho mas sem estresse, o chill.out.brain. As batidas da música eletrônica me ajudam a concentrar quando estou com dificuldade de focar e esta seleção ajuda a não acelerar demais o ritmo;
  6. A Newsletter Intelligent Tuesday, do Intelligent Change, que criou o Five minute Journal está sempre recheada de ótimas dicas de como trabalhar de forma mais inteligente e viver de forma mais plena.
  7. Uma dica legal da Jane Hwangbo, é fazer desenhos aleatórios (doodles) por alguns minutos quando ela está muito irritada. Depois de cinco a dez minutos desenhando, ela fica com os pensamentos dela mais claros e leves.

It is impossible to speak in such a way that you cannot be misunderstood.
Karl Popper

Você tem algo construtivo sobre este texto para dizer? Então comente abaixo