Como comecei a traduzir3 min leitura

Não sei exatamente o ano (talvez 2004), mas a minha primeira tradução acredito que foi a imagem abaixo:

Como compartilhar o prazer da leitura a dois

Quando encontrei essa imagem, originalmente em inglês, achei ela tão genial que queria compartilhar com meus amigos e outras pessoas, mas sabia que o idioma poderia ser um empecilho para isso. Então resolvi simplesmente editá-la e traduzir o texto, deixando os créditos originais do autor, e compartilhei. Alguns anos depois, quando criei o interrogAção, acabei achando essa imagem novamente no meu computador e ela foi o segundo post que fiz. Originalmente eu não havia adicionado nenhum crédito da tradução, só um bom tempo depois de ter publicado ela que a editei novamente para adicionar o nome do site.

Depois também traduzi a imagem abaixo, publicada também no interrogAção, que é uma sátira das frases “[ALGO NOVO] (fita cassete, DVD, MP3, …) está matando [INDÚSTRIA VELHA] (música, cinema, música, …)“:

Quando vejo esta imagem sempre lembro da minha amiga Débora, que é uma excelente cozinheira

Comecei a pegar gosto pela tradução e um dia, não lembro mais exatamente como (talvez em um blog), encontrei o quadrinho “Amusing ourselves to death“, criado pelo australiano Stuart McMillen (na época ele publicava os quadrinhos no Recombinat Records) e a leitura dele explodiu a minha cabeça e eu só conseguia pensar “outras pessoas precisam ler isso também!“. Não demorou muito e baixei as imagens do quadrinho, abri meu editor de imagem favorito (digam oi para o GIMP), procurei uma fonte que fosse mais semelhante a utilizada no quadrinho original (mais tarde descobri que na verdade era a própria letra do autor, quem dera minha ser assim nos meus quadrinhos) e comecei o processo de tradução. Uma vez que fiquei satisfeito com o resultado, publiquei com o título “Entretendo-nos até a morte” em 22/07/2009, (o quadrinho foi publicado em maio do mesmo ano) incluindo também a tradução de algumas curiosidades que o autor havia adicionado.

Trecho do quadrinho “Entretendo-nos até a morte”

Depois de alguns meses vi que o projeto do site estava indo para frente e pensei que seria interessante ter permissão do autor do quadrinho (é sempre bom né?) para talvez até traduzir os outros que ele tinha feito. Mandei então um e-mail através do formulário de contato do site dele perguntando se eu podia traduzir seus quadrinhos e que eu não tinha me controlado e já tinha traduzido e publicado uma tradução (alerta para inglês vergonhoso nas linhas abaixo):

Hey Stuart,

I’m a huge fan of your cartoons, and I also would like to draw comics someday, inspirated by your drawing. I’m already taking drawing lessons for some time.
In the meanwhile I would like to translate your drawing to my mother tongue, Brazilian Portuguese, and spread them to Brazilians who can’t read in english, could I do that?
I’m going to be honest with you, I didn’t controled myself and I already translated one of them (“Amusing yourselves to death”) and published it on my website, but with all credits for you. I hope you don´t mind…

Looking forward to an answer.

Thanks,
Daniel

Para a minha surpresa a resposta dele foi muito positiva, apenas pediu para deixar claro que eu era o tradutor e não ele. Uhul! \o/ A partir desse dia comecei a traduzir os outros quadrinhos do Stuart (descobri alguns anos depois que fui o primeiro tradutor oficial dele) e a aventura no mundo da tradução vai continuar em um próximo post!

Publicado por Daniel Kossmann Ferraz

Sou (de)formado em Ciência (?) da Computação e (in)formado em Cinema, Literatura, Tradução, Arte, Quadrinhos e Alquimia pela Universidade Pirata, obtendo com louvor o título de Kosmonauta. Nas horas vagas, gosto de desenhar mãos e viajar em universos paralelos. Se você gostou dos meus textos, me ajude a escrever mais.

Deixe um comentário

Você tem algo construtivo sobre este texto para dizer? Então comente abaixo